Cases / CANAL DO PANAMÁ

Case Paragon: História de Sucesso do Canal do Panamá

O Canal do Panamá é um dos maiores lagos artificiais do mundo e a mais importante rota logística por mais de um século. Vamos falar mais sobre mais uma história de sucesso da PARAGON!

Case Canal do Panamá: Expansão Em Favor do Comércio Mundial

O CANAL DO PANAMÁ é um das obras de engenharias mais impressionantes já construídas e destina-se a ser o importante elo para o comércio marítimo mundial que navega entre os oceanos Atlântico e Pacífico.

Por mais de um século, ele é a alternativa logística mais importante para o transporte marítimo no comércio mundial, pois permite que, com suas eclusas, seja possível reduzir substancialmente o tempo e os custos das viagens entre os dois oceanos. 

Porém, com o crescimento de economias emergentes nas últimas décadas, especialmente o Brasil e a China, cresce continuamente o número de navios que circulam pelo CANAL DO PANAMÁ e, principalmente, as dimensões dessas embarcações.

São os chamados navios Pós-Panamax com capacidade para 170 mil toneladas, que tornam o trânsito comercial menor e mais eficiente do ponto de vista econômico, comportando mais mercadorias.

É aqui que começa o grande desafio – preparar-se para uma demanda inevitável e que dependia diretamente da expansão do CANAL DO PANAMÁ para ser financeiramente viável para empresas e consumidores em todo o mundo. 

A PARAGON trabalhou em parceria com o CANAL DO PANAMÁ em um trabalho de alto nível de expertise com soluções tecnológicas para decisões em grandes projetos

Vamos falar de mais uma história de sucesso!

Case Canal do Panamá: Os Desafios

Era preciso encontrar uma solução para que navios com capacidade em torno de 170 mil toneladas, os chamados de Pós-Panamax, pudessem trafegar pela região e, com isso, manter a rota produtiva para equipamentos que buscavam o menor valor unitário de frete.

Além disso, não usar o canal para estes equipamentos era algo impensável, pois obrigaria a fazer viagens mais longas – mais caras – ou manter as embarcações Panamax – o que significa mais viagens, custos de manutenção e produção de navios.

A ACP (Autoridade do Canal do Panamá), órgão gestor da obra, decidiu em 2002, pela expansão e otimização das atividades do canal, construindo o terceiro conjunto de eclusas para atender embarcações maiores.

Também era fundamental conhecer o melhor cenário de configuração física e regras de funcionamento para atender diferentes níveis de demanda do canal expandido e a quantidade de recursos necessários para operar o canal.

A administração do CANAL DO PANAMÁ definiu um projeto para desenvolvimento de um sistema de apoio à decisão visando mapear e estudar as regras de operação na expansão com diferentes cenários no canal.

A PARAGON desenvolveu um projeto prevendo a criação de uma modelo de simulação detalhado para uso das equipes técnicas do cliente e que permitia a tomada de decisões a partir de uma grande massa de dados, entre eles as previsões de demanda e as tendências.

Além disso, o sistema seria usado para a otimização de scheduling e sequenciamento de navios e para a simulação de tráfego, regras de navegação e condições operacionais de eclusagem, considerando as características dos navios, agendamento, direção e outros dados.

A ferramenta deve simular as operações do CANAL DO PANAMÁ com as capacidades corrente e com a expansão. As obras de expansão, com o terceiro jogo de eclusas, foram subsidiadas por um projeto também desenvolvido pela PARAGON.

Case Canal do Panamá: Soluções

A PARAGON desenvolveu o projeto com tecnologia de simulação Arena combinado com o CPLEX, SQL, integração com sistemas de Business Intelligence e transferência de know-how.

Além disso, contemplou um dashboard gerencial baseado na tecnologia Scenario Navigator, oferecida com exclusividade na América Latina pela Paragon.

Durante os estágios finais da construção da expansão, a ACP se concentrou nas definições sobre regras de operações para o novo canal expandido, o que gerou outro grande projeto de simulação construído pela PARAGON: PCCM – Modelo de Capacidade do Canal do Panamá.

Case Canal do Panamá: Resultados

A equipe da ACP desenvolveu vários modelos operacionais no Arena, usados para melhorias de desempenho e estudos de impacto de forma contínua – procedimentos de operações de rebocadores, requisitos de mão de obra, planos de manutenção e vários outros.

O PCCM é usado diariamente em várias estações de trabalho, com milhares de cenários analisados até o momento.

Case Canal do Panamá: Depoimento do Cliente

Quer levar ao seu projeto a excelência de dados para tomar as decisões mais assertivas e seguras?

A PARAGON pode ser a sua aliada!

Clique abaixo e um consultor especializado entrará em contato para conhecer os seus objetivos e mostrar a nossa parceria que constrói valor!